Inspetor D.Lucas

Outras publicações de Inspetor D.Lucas

Sou motociclista, sempre fui e não lembro o dia que não tenha andado de moto ou que não tenha pensado nela. Motocicleta é mais que um meio de transporte, é um prazer.

A mulher motociclista. Devemos cuidar de nossas “meninas”

04 de Maio de 2013

|

ENCONTRODEMOTOS.com

O aumento de motociclistas mulheres é notório, todos os dias no trânsito, visualizamos uma mulher e sua moto. Lá vão elas com seus terninhos alinhados indo ou vindo do trabalho. Ou mesmo nos eventos de motociclistas, com seus casacos pretos e suas botas e todos os equipamentos de segurança.

 Hoje em deslocamento para o trabalho, fiquei olhando uma garota e sua moto, era uma 150cc da Honda, percebi que ela estava bem a vontade no trânsito. Se posicionava corretamente na faixa de circulação e as ultrapassagens eram realizadas com uma olhada no retrovisor, transmitiu muita segurança e tranquilidade. Uma cena que há alguns anos atrás não seria possível, porque as mulheres assumiram o gosto pela motocicleta, no dia a dia, há pouco tempo. 

Em recente pesquisa com dados coletados no Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), foi averiguado que durante esses anos, o número de mulheres motociclistas aumentou em 44%, elas já passam das 3.700.000 habilitadas com carteira para pilotarem motocicletas em todo o país. 



As vendas de motocicletas novas para mulheres também cresceram muito, hoje elas já representam 25% do volume total de vendas, dados da Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas). Conforme pesquisa, só em dezembro do ano passado, foram emitidas, em todo o Brasil, 2.534.242 carteiras de habilitação de moto para o sexo feminino.

Em cinco anos, o crescimento no número de condutoras habilitadas foi de 56,4%. Em 2003, eram 8.495.736 milhões e em 2008 o número saltou para 13.289.655, considerando todas as categorias. Esse número supera até mesmo o da frota circulante no País – 13.084.148. Ou seja, tem mais mulheres habilitadas do que motos rodando por nossas ruas. 

Pensando nisso, as lojas de acessórios já estão colocando à disposição equipamentos exclusivos para as mulheres. Já é comum encontrar, por exemplo, capacetes, roupas, capa de chuva, luvas e outros itens na cor rosa.

As mulheres já estão presentes em todas as modalidades do motociclismo. Participam de viagens em grupo e moto grupo e eventos esportivos. Muitas iniciaram o gosto pela moto andando na garupa dos namorados ou maridos. Isso somente ajuda, porque já iniciam com um certo conhecimento, pois em todos os encontros de motociclistas elas participam de palestras. E a conversa sempre gira em torno das motos.

Tudo isso expôs nossas mulheres a este trânsito que estamos acostumados. Praticamente em todos os eventos, ouvimos conversa sobre aquela famosa “fechada” que levamos dos motoristas, as mulheres também sofrem com este problema.
Devemos durante os deslocamentos, orientar e colaborar, para que elas tomem mais gosto pelo motociclismo, porque é muito bonito uma mulher de moto.

Nas conversas, percebo que elas não querem mais andar de Virago 250cc, ou Shadow, assim que podem estão de Harley 883cc, de Yamaha 900cc, ou Fat Boy e isso é fato. A mulher com seu jeito de ser chegou devagar e não é mais minoria nos eventos, elas não são somente “garupas”, são as pilotos das motos.

Isso posso dizer, porque tenho o prazer de ser casado com uma grande motociclista, que sabe pilotar melhor que muitos marmanjos por aí. Com tudo isso, devemos sim prestar atenção, e colaborar com a segurança delas durante os eventos e os deslocamentos, porque como já foi dito: Mulher de moto é tudo de bom.