Inspetor D.Lucas

Outras publicações de Inspetor D.Lucas

Sou motociclista, sempre fui e não lembro o dia que não tenha andado de moto ou que não tenha pensado nela. Motocicleta é mais que um meio de transporte, é um prazer.

Será que existe diferença no termo Trânsito e Tráfego?

15 de Junho de 2013

|

ENCONTRODEMOTOS.com

E andar de moto nas cidades?

Andar de motocicleta é muito bom, muito prazeroso, e pilotar em Brasília é melhor ainda. Nós, que moramos na capital federal, reclamamos do trânsito e das fechadas que levamos dos carros, mas, mesmo assim, ainda é gostoso pilotar na cidade.

Digo isso porque, estando em Salvador na Bahia a trabalho e andando em várias motocicletas de várias cilindradas, levei menos “fechadas” dos motoristas aqui do que em Brasília. Aqui, não existem “ruas” para andar ou pilotar uma moto, tudo é muito apertado e o trânsito (tráfego) é tumultuado, mas flui. Salvador está com um volume de trânsito no limite, e não há como desviar ou trocar de rota e direção, tudo trava, e mesmo as motos ficam paradas. Aí, entra a diferença entre Trânsito e Tráfego.

Acredito que podemos utilizar o termo Trânsito como já vem sendo feito na mídia falada, escrita, etc. Mas qual a definição certa? Trânsito ou tráfego?

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) diz o seguinte: “Art. 1º O trânsito de qualquer natureza nas vias terrestres do território nacional, abertas à circulação, rege-se por este Código.” O CTB, em seu Anexo I, define trânsito como a “movimentação e imobilização de veículos, pessoas e animais nas vias terrestres”. Por isso, é comum ouvirmos dizer que o “trânsito estava intenso” ou “o tráfego estava intenso”. Fica difícil diferenciar os dois termos que podem ser considerados sinônimos. Podemos perfeitamente dizer que o tráfego está intenso.

Comecei este texto com estas observações para comparar o trânsito de Brasília, onde resido, e o de Salvador, na Bahia, onde estou trabalhando há alguns dias. Falo do trânsito em sua totalidade, carro, motocicleta, caminhão, ônibus e tudo como no § 1º do CTB que diz: “considera-se trânsito a utilização das vias por pessoas, veículos e animais, isolados ou em grupos, conduzidos ou não, para fins de circulação, parada, estacionamento e operação de carga ou descarga”. Por isso, trânsito ou tráfego são sinônimos.

Em Brasília, podemos dizer que o trânsito ou tráfego já foi mais tranquilo. As pessoas dirigiam seus veículos tranquilamente em todas as direções, mas, hoje, momentos de engarrafamento são constantes e as pessoas se irritam facilmente, as buzinas não são usadas, e isso é um ponto positivo, assim como a faixa de pedestre ainda é respeitada, mas as mudanças foram muitas nestes últimos anos e quem conhece Brasília sabe disso. Pilotar motocicleta em Brasília é um grande problema. A constante briga entre motoristas e motociclistas parece não ter fim e não tem um dia que não levamos uma fechada de um motorista, tornando a convivência difícil. 

Indiferente de motociclista ou motorista, em Brasília, a seta não é respeitada e, se alguém entra em sua frente, recebe uma fechada que acaba transformando aquele simples ato de convivência em um acidente. 

Não há respeito no trânsito e essa é nossa realidade. Todos os dias, presenciamos acidentes de pequena monta acontecendo e, com isso, o trânsito fica cada vez mais complicado.

Já em Salvador o trânsito é caótico, tumultuado, mas funciona. Tenho dirigido e andado de moto e percebo que as pessoas quando visualizam uma seta, ou um veículo tentando passar à frente, diminuem a velocidade e dão passagem. É carro para todo lado, moto, bicicleta, pedestre e todo tipo de veículo, mas não presenciei nenhum acidente tipo colisão traseira dentro da cidade. Pelo volume de carros e pelo tamanho das ruas, era para ser o caos, mas aprenderam a conviver pacificamente. A faixa de pedestre não é respeitada, é somente pintada no asfalto, nada mais. As buzinas não são tão utilizadas, mas escutei várias em um engarrafamento. Teve um dia que ficamos literalmente parados, e percebi que o pessoal não fica estressado. Como disse o trânsito flui, apesar das ruas apertadas e da quantidade de carros.

Comparando o trânsito entre as duas cidades, chegamos à conclusão de que o ele está em seu limite. A quantidade de carros aumenta a números alarmantes e devemos aprender a conviver pacificamente neste novo mundo que estamos vivendo: O conturbado trânsito no Brasil independente da cidade.

As duas cidades servem de exemplo para o país. Não importa o tamanho, o problema de trânsito ou tráfego existe e necessita de solução. Precisamos e devemos saber que somos a parte responsável pelo trânsito no dia a dia, e a tendência é piorar.

Andar de moto nas duas cidades é a mesma coisa. As pessoas não respeitam o motociclista e como tive o prazer de pilotar moto de grande porte nas duas cidades, percebo que os motoristas não aceitam ou não entendem o que é ser motociclista e como somos vulneráveis e precisamos ser respeitados no trânsito no tumultuado tráfego urbano, pois, tanto em Brasília como em Salvador, notei que a discriminação é muito grande, porque o que importa mesmo é o ser humano, o motorista, o motociclista, o ciclista enfim o pedestre.

Todos somos responsáveis pelo trânsito. “Nós somos o trânsito”. Paz no trânsito em qualquer parte do Brasil.  Respeitem o motociclista, pois vivemos em um país tropical propício a motocicleta, e merecemos respeito independente de onde estivermos pilotando ou se estivermos no trânsito ou no tráfego, que são apenas denominações.

Fotos: Divulgação.