Inspetor D.Lucas

Outras publicações de Inspetor D.Lucas

Sou motociclista, sempre fui e não lembro o dia que não tenha andado de moto ou que não tenha pensado nela. Motocicleta é mais que um meio de transporte, é um prazer.

Qual a diferença entre ser estradeiro ou andar de moto na cidade?

30 de de 2013

|

D. Lucas Barbosa

Tenho um pagina no Facebook, (D.Lucas Barbosa), gosto de poder rever antigos amigos e fazer novas amizades, levar informação e poder passar um pouco da técnica motociclística que adquiri em mais de 18 anos de trabalho com motocicletas na Polícia Rodoviária Federal.

Foi no Facebook que divulguei meu livro “Motos Na Estrada”, da Editora Kiron, no qual passo técnicas de segurança para pilotar motocicletas e onde posso receber mensagens como a da colega motociclista Simone Riella, que fez a seguinte indagação: “Qual a diferença entre estradas e ruas? Faço esta pergunta, pois fico encabulada com algumas postagens no ‘face’ e pela postura adotada por algumas criaturas que se intitulam estradeiros (as). Sudoeste, Florida Mall, Encontro da Vila e Pontão me tornam estradeira (o)???? É só uma pergunta boba, mas o meio motociclístico de Brasília está virando um teatro!!!”

Pois bem, você é uma motociclista, sim. Agora, a denominação eu não posso informar. Em nosso meio, muitas são as denominações para motociclistas e até eu não sei o que sou, porque participo da maioria dos eventos. Tenho sorte de minha esposa ser motociclista, policial e instrutora de motocicleta, mas, se sou estradeiro ou não, realmente não sei. Só posso dizer que a palavra “irmandade”, como diz o Bodes do Asfalto MC, significa: “Irmandade provém de irmão, portanto, considerando-se que os motociclistas possuem os mesmos ideais relacionados à motocicleta e se consideram "irmãos por afinidade", então, eles pertencem a uma mesma Irmandade. Claro que isso vem de muito tempo e esta Irmandade cresceu baseada em tradições e regras próprias que a tornam única, portanto, sua ideologia não deve ser desvirtuada, mas, sim, preservada a todo custo, sempre honrando suas cores, um dos outros, cada um com a sua bandeira.”

Nós mesmos inventamos nomenclaturas como "cecezeiros, motoqueiros, jaspeiros, estradeiros". Eu acho que “jaspeiro”, em sua maioria, possui motos esportivas, gosta mais da adrenalina, de uma velocidade maior, de se juntar com outros que possuem motos grandes, de frequentar lugares diferentes dos estradeiros, enfim, de motos caras, esportivas e chamativas. São famosos também por ter um lado "motoqueiro" de ser, existem exceções, mas, em sua maioria, são mais agitados. Já os “estradeiros”, em sua maioria, são motociclistas que possuem motos custom, estilo as Harley Davidson, gostam mais das estradas, sem alta adrenalina. Estão ali para curtirem o estilo, o viver o motociclismo em si, curtir a irmandade, os encontros.

Diversas vezes participei de discussão sobre jaspeiros e estradeiros, o que entendo ser uma perda de tempo, pois, muitas vezes, elas terminam em bate boca sem fim, criando mais um problema entre motociclistas, pois os extremos não podem ser debatidos. Se o gosto de um é esportivo, não pode estar errado, se ele gosta da velocidade, que assuma seus riscos e as infrações de trânsito, cada um em seu mundo. Não precisamos aceitar ser os dois, mas também não precisamos sair falando mal de um ou de outro. Saiba se comportar entre quaisquer deles e sejamos todos "Motociclistas", independentemente da moto, da cilindrada ou do poder aquisitivo!

Não se julgue superior ao outro só porque tem uma moto mais cara, tem um estilo que você acha certo, se julga mais motociclista, ou é o certo na história, se pode andar mais de moto na estrada, se gosta de levar a moto no reboque ou se vai aos encontros de carro, tornando-se os famosos “coxinhas”, porque cada situação depende da ocasião e toda esta discussão termina em divisão e quem perde com isso é o motociclismo, a irmandade.

Alguns costumam dizer que jaspeiro ou estradeiro é um estado de espírito, um modo de comportamento que o motociclista interage com a irmandade e sua moto. Também faz sentido! Porque “não é a moto que faz o motociclista, e, sim, ele próprio”!

Quando estamos em um encontro de motociclistas, a mistura é de todo tipo. Jaspeiros e estradeiros num só local, convivendo harmoniosamente. Todos estão ali para curtir um bom encontro!

Muitas pessoas possuem motos, mas não sabem usar este equipamento por desconhecimento ou ignorância. Motociclismo é também saber se portar em todas as ocasiões.

Portanto, minha amiga motociclista Simone, somos todos motociclistas e estas denominações somente dividem o motociclismo. Cada um tem sua moto, pagou por ela e vai aos encontros da maneira que quiser. Tenha certeza de uma coisa: você é uma “grande” motociclista, e sua pergunta foi pertinente porque levantou o velho tema, jaspeiro x estradeiro. Isso não existe. O que existe é o respeito às leis de trânsito e o bom convívio entre os motociclistas. Andar de moto é um prazer e estar entre amigos, melhor ainda. 

Fotos: Divulgação.